As guerras e os games

Enviado por: lucaslll
25/03/2011 15:30:10 1 / 1

Estava eu feliz e contente vendo o gameplay de "Dissidia 012", quando me deparo com uma propaganda do exército norte-americano. Então comecei a prestar atenção, estava em todos os lugares.

Antes dos vídeos e em banners eram obviamente mais presentes quanto se procurava por FPS militares. Começou a fazer sentido?

Vamos falar sério para variar... não dá mais para negar que os jogos militares estão realistas demais. Se você é um fã do gênero, deve achar isso demais, porém isso torna matar árabes um problema. Não me entenda como moralista, apenas questiono o quanto o ideal militarista patriota não é passado nas entrelinhas.

Particularmente sempre preferi coisas mais irreais, nunca entendi por que, podendo criar em games coisas como vamos dizer um ninja-pirata com poderes telepáticos montado em um dinossauro robô que sabe como soltar um kameramera, ainda são criados milhões de jogos com soldados, mas isso é um gosto pessoal. Agora, acho que quando estamos falando de justificar guerras, penso que todos deveriam prestar atenção, para que nossas ações não ajudem a justificar algo que nosso discurso diz sermos contrários. (Eu sei, nem todos os discursos são contra as invasões e as guerras retratadas nos games, mas, se você é a favor dessas guerras, pare de ler isto e se mude para o Texas.)

A propaganda do exército americano junto com os games coroa essa tendência. Não vou discutir aqui as consequências de um Estado Militarista ou nada do gênero, mas quero dizer que a propaganda prova que o exército dos EUA concorda comigo, e não apenas por achar um site de games um bom lugar para convencer as pessoas a se alistarem, mas também porque todo o seu site parece saído de um videogame. Fotos de heróis em ação, lista de armas, e talvez o absurdo mais digno de nota seja um item chamado “Warrior Patch” (o caminho do guerreiro), com até um link para o site do UFC valorizando a perícia em combate. Se isso não soa como um game para você, então não sei o que dizer.

Videogames não são mais apenas jogos, são uma mídia e, portanto, intencionalmente ou não, constroem um discurso.

Para terminar glorificando a nerdisse: "com um grande poder, vem uma grande responsabilidade", ou seja, quando começamos a ser ouvidos, temos que tomar mais cuidado com todas as repercussões do que falamos.

BETA
Comente pelo facebook
Último está em cima - alterar?
O que já falaram
0 / 0
MrGame em 02/04/2011 22:57
Essa última frase me fez refletir..
0 / 0
GamerThuane em 25/03/2011 19:54
Exatamente edi_rpg, concordo plenamente!
0 / 0
Renato12 em 25/03/2011 17:39
Concordo Com O Edi_Rpg.
0 / 0
Édi_rpg em 25/03/2011 16:45
Também prefiro o universo irreal, por quê o real vivemos, vimos, sentimos, e todos os outros imos que você se lembrar. E também sair do real para ir ao irreal é muito mais louco.
1
Faça login ou cadastre-se
Envie seu comentário
Top Games
Estamos no Facebook
Quem já curtiu isso