[RetroLib] P.O.W. Prisioneiros da Guerra no NES

Enviado por: sergio sampa
21/05/2013 13:15:26 0 / 0

P.O.W. Prisoners of War é um jogo para NES, portado do arcade e lançado em 1989 pela SNK.

Ele segue o estilo beat n' up de Battletoads ou TMNT 2. Mas, assim como Double Dragon 1, possui somente o modo de 1 jogador, diferente do Arcade que podia ser jogado por duas pessoas simultaneamente (em Double Dragon havia modo para 2 dois jogadores alternados).

No entanto, esse era apenas um pequeno defeito do game, pois, no restante, está entre os melhores jogos do gênero do NES.

A conversão feita pela SNK trouxe muitos acréscimos para compensar a ausência do multiplayer. Por se tratar de uma versão para console, as fases foram estendidas. Existem novos tipos de inimigos e a mecânica foi adaptada ao controle com apenas dois botões do NES.

A história é bem simples. Você é um prisioneiro de guerra que está confinado numa base militar com a missão de assassinar o líder dos inimigos. Para isso, você deve escapar de lá usando os próprios punhos e enfrentando o exército inteiro sozinho (acompanhado de um amigo no arcade).

Clone do Arnold Schwarzenegger?

Sendo uma ou duas pessoas, derrotar um exército inteiro é algo praticamente impossível e impensável nos dias de hoje. Mas, na década de 80, quando os filmes de brucutus tipo Rambo bombavam no cinema, empunhando suas metralhadoras na cintura e atirando sem mirar, vencer um exército era totalmente plausível.

A jogabilidade no NES é muito boa. Diferentes de muitos outros jogos da época, o alcance dos socos e chutes é bem longo. É fácil acertar um inimigo, ele não precisa ficar exatamente na mesma linha que seu personagem, assim, dá pra golpear vários que estejam próximos ao seu personagem.

Além de soco e chute, você pode fazer a voadora vertical, que não é muito útil. De forma oposta, o golpe de contra-ataque é muito mais versátil e causa mais dano que os golpes normais. Dá até para apelar e ficar virando de costas para o inimigo propositadamente para poder ativar o contragolpe.

Existem alguns itens que podem ser pegos pelo caminho como facas, soco-inglês, metralhadoras, coletes à prova de balas. Uma ótima adição, em relação ao arcade, é poder jogar as granadas dos inimigos de volta. Isso facilita contra alguns chefes finais e também para derrubar os helicópteros.

A maior novidade nas fases é poder entrar em portas, passagens e na parte traseira de veículos de grande porte para enfrentar alguns oponentes e conseguir novos itens.

Mesmo possuindo o tema "base militar", cada fase possui características distintas. A música também merece destaque. Pelo tamanho das fases, elas podem se tornar repetitivas, mas são bem compostas e ficam na cabeça.

P.O.W. não é um jogo fácil. Você precisa saber como evitar levar dano, pois, um inimigo consegue te arrancar uma vida inteira com poucos golpes. Sendo cauteloso, dá para terminá-lo, porém, você pode aumentar suas vidas usando o código A, B, B, cima, cima, baixo, esquerda e START na tela de título para começar o jogo com 20 vidas, ao invés de 3.

Os gráficos do game foram bem trabalhados. Existe pouco flickering, os sprites são grandes e o personagem principal é bem animado, para os padrões do console. Como eu disse antes, cada fase tem um estilo próprio, e isso se deve ao fato de que os cenários são bem variados.

Ao lado de Double Dragon 1 e 2, Renegade e TMNT 2, P.O.W. é um ótimo representante do gênero no NES e merecia ser relançado em alguma plataforma da Nintendo nos dias de hoje.

NOTA: 7.5

BETA
Comente pelo facebook
Clique aqui para comentar pelo sistema do gameLib
Top Games
Estamos no Facebook