Os segredos da versão beta de Chrono Trigger

Por: sergio sampa
Chrono Trigger | 08/08/2012 13:05:42 0 / 0

Chrono Trigger é um dos maiores games de RPG de todos os tempos. Se você ainda não jogou, largue o FPS genérico da semana e vá jogar já, antes de ler esta matéria!

Agora, se você é fã de CT, já deve conhecer os itens, missões, finais diferentes (um abraço para Mass Effect 3), e todos os segredos. Porém, nem todo o mundo conhece as diferenças da versão beta. Então, vamos conhecê-las agora!

Buscar informações sobre versões não finalizadas dos jogos quase sempre nos leva a conhecer mais sobre o próprio jogo e também a especular sobre como ele poderia ter sido, não fossem as mudanças que sempre ocorrem durante o processo de desenvolvimento. Pelo menos uma vez cada gamer já ouviu comentários sobre as mudanças de um jogo em sua versão final. O mundo "what if" dos jogos não terminados é instigante.

Duas versões

Primeiramente, sobre Chrono Trigger existem 2 versões. A versão inicial que tem uma série de elementos diferentes da versão final, conhecida como Alpha. E a Beta, mais próxima da versão lançada, mas ainda inacabada.

A versão Alpha foi vista apenas num vídeo (não mais considerado raro, pois está no YouTube), em que os criadores mostram trechos do jogo em desenvolvimento. E a versão Beta existe para download em forma "dumpada" para rodar em emuladores.

A versão Beta de Chrono Trigger

No site Chrono Compendium existem muitas imagens, cenários, sprites e músicas da versão beta. É curioso você ver como o game mudou bastante até o polimento final.

Essa imagem abaixo, por exemplo, é de um local do mapa do futuro destruído em 2300 A.D. Trata-se de um tipo de Coliseu ou uma "Torre de Babel". Aí vem a pergunta: o que poderia ter sido esse local? Talvez uma arena onde Crono e seu grupo poderiam enfrentar inimigos mais poderosos, recebendo itens especiais ou dinheiro, como acontece no Coliseu de Final Fantasy VI? Aliás, seria a existência de um Coliseu em FF6 que fez os produtores não o incluírem em CT, para não ficar repetitivo demais?

No passado, 65.000.000 B.C., existem detalhes no mapa que não estão na versão final. Eles até existem nos dados do jogo, mas não estão habilitados. Um deles é um pedaço de carne de dinossauro assando, e o outro uma grande pilha de ossos.

Essa caverna é uma das regiões do game que se passa no futuro, dentro do Death Peak. Não há como acessá-lo na versão beta se você não utilizar códigos para hackear o game. Nela o vento é forte o suficiente para empurrar os personagens para o lado e há um baú que não abre.

Epoch Hover

Vários elementos de Final Fantasy existiram em Chrono Trigger e, aos poucos, a equipe de desenvolvimento foi retirando ou modificando. Um exemplo é a famosa máquina do tempo Epoch. Na versão final ela é uma nave que voa a uma grande velocidade (88 milhas por hora?) para teleportar a outra época. Mas na versão beta existe uma Epoch versão Hover que podia andar por cidades, gramados e florestas, mas não subia montanhas e nem atravessava os mares. 

Isso normalmente acontecia em Final Fantasy. Nos jogos mais antigos, você conseguia primeiramente um veículo mais limitado, que não te permitia visitar o mundo todo. Com o passar do jogo, você adquiria novos veículos que substituíam o anterior até conseguir uma airship com acesso a qualquer lugar.

Em Chrono Trigger, essa ideia estava lá no começo, mas foi podada. Não sabemos o motivo, talvez para economizar memória da ROM, já que o jogo possui sprites e cenários maiores que muitos outros RPGs de SNES.

Enquanto a Epoch nave tinha uma animação legal para viajar no tempo, a Epoch Hover apenas ficava com seu sprite mais claro e sumia da tela.

Este vídeo mostra a Epoch versão hover a 1:12:

Na versão final, os sprites da Epoch Hover existem na ROM, mas não há como utilizá-la pois seu código de funcionamento foi deletado. Na versão Beta, a nave está disponível na época 1000 A.D. Para acessá-la é necessário tocar numa bandeira hasteada na Millenium Fair e sair para o mapa.

Guarda de Guardia?

Entre os sprites dos personagens que aparecem no mapa, existe um não utilizado na versão Beta. Trata-se de um soldado ou um guarda. Ele não está salvo com as cores certas e possui apenas três quadros.

Esse guarda pode ter sido criado para impedir que o jogador entrasse em algum lugar que ele ainda não poderia ter acesso. Mais uma vez, pode ser considerado um conceito vindo de Final Fantasy. Na versão final, o roteiro e o design dos mapas conseguiu manter o jogador seguindo a história sem precisar usar esse método clássico do Final Fantasy.

Músicas não utilizadas

Nesse vídeo abaixo estão as faixas de áudio da versão Beta que não estão na versão final ou foram modificadas:

Lista das músicas:

0:00 Boss Battle Theme

Parece com o primeiro tema de Boss. Aparentemente seria usado em batalhas mesmo.

1:30 Sem nome (Keeper's Dome)

Música do tipo "assombrada". Pode pertencer ao futuro 2300 A.D.

3:02 Lavos' Theme
Essa foi um erro de quem fez o vídeo pois essa música toca quando você enfrenta Lavos no Undersea Palace.

5:39 Battle 1 versão alternativa

Na versão beta existem duas versões da trilha para batalhas comuns. A primeira lembra muito a versão final, mas ainda falta polimento. E a outra é a versão alternativa, que possui muitos arranjos e notas diferentes.

6:41 Sem nome (Choir)

Aparentemente essa música não existe na versão final. Parece uma trilha para "fim de jornada", "conclusão", etc. Poderia ter sido uma música feita para um dos vários finais do jogo.

A versão Alpha de Chrono Trigger

Nessa versão muitas coisas são extremamente diferentes. Veja o scan da revista brasileira Super Game Power nº 8 (que recebia conteúdo da americana Game Pro).

Nesse estágio de desenvolvimento Crono tinha cabelos diferentes, mais lisos. E na tela de status, ao invés do nome do elemento do personagem, havia símbolos. Provavelmente, os personagens poderiam aprender mais de um elemento e cada elemento teria um nível próprio. Isso lembra Final Fantasy.

Por um lado, possibilitaria mais opções de combos, mas por outro, ficaria muito mais complicado e caro para programar todas as possibilidades de golpes combinados. Provavelmente por isso os personagens acabaram tendo um elemento fixo na versão final (o que não é ruim).

A imagem abaixo mostra a artwork feita por Akira Toriyama para a versão americana do jogo. Como você pode ver, Marle está soltando uma magia de fogo na espada de Crono. Como você já deve ter reparado, o elemento dela na versão final é gelo, então essa imagem estaria errada. E, no quadro abaixo, temos uma cena da versão Alpha do game onde está acontecendo a mesma cena da capa. Concluindo: essa cena de batalha da versão Alpha foi usada por Toriyama para desenvolver a capa americana.

Outro detalhe interessante na imagem é o tileset (cenário) que não existe na versão final. Todo o mundo sabe que as batalhas em Chrono Trigger acontecem no próprio cenário de exploração. Olhando a imagem do jogo, tem-se a impressão de que a batalha acontece num cenário especial devido às montanhas ao fundo. Outra suposição é que eles estão no ponto mais alto de uma montanha e a batalha está no cenário de exploração mesmo.

Na versão final, esses galhos e a neve são diferentes. E nem mesmo há uma região inteira gelada no game para justificar tantas montanhas geladas ao fundo. Apenas alguns poucos montes frios do Death Peak.

O layout do status e o menu são azuis, como em Final Fantasy. Na versão final, o layout principal é cinza.

Vídeo da V-JUMP

Essa é uma revista japonesa sobre games, mangás e animes que costumava trazer junto uma fita VHS falando sobre suas novidades. Numa certa edição de 1994, eles mostraram uma entrevista com os produtores de Chrono Trigger enquanto algumas cenas da versão alpha apareciam na tela. 

Músicas, sprites, e cenários da versão Alpha foram vistos nesse vídeo pela primeira vez.

Logo no início dá para ver o mapa inicial com casas separadas, a Feira do Milênio nem aparece ao Norte e o Castelo de Guardia está bem longe da cidade. Detalhe: existem moinhos de vento que foram para o beleléu na versão final. O mapa parecia ser bem mais extenso e o castelo chega a aparecer depois ao lado da catedral, enquanto alguns aviões passam pelo cenário .

Apesar de mais feia visualmente, a versão Alpha do mapa tinha mais vida que a versão que conhecemos.

Chrono aparece andando num tipo de papel de parede com vários relógios de bolso. Seu sprite está diferente e muito mais simples. E o relógio não existe no jogo final.

Na cena da nave Epoch podemos ver que é a mesma imagem usada na revista Super Game Power.

Provavelmente, existem muitos outros segredos envolvidos na produção de um dos mais memoráveis RPGs da história.

Se você leu esta matéria, é provável que já conheça o jogo. Se você ainda não o conhece, é hora de tomar vergonha na cara e jogar Chrono Trigger.

Veja também os comerciais de Chrono Trigger no Japão:

E por que não chorar mais uma vez vendo a versão beta do remake feito por fã e que a Square proibiu de ser terminado:

Chrono Compendium: clique aqui.

BETA
Comente pelo facebook
Clique aqui para comentar pelo sistema do gameLib
Leia também
Chrono Trigger | Playstation | 03/10/2011 10:11:19 5 / 1
Por: sergio sampa
Chrono Trigger | Nintendo DS | Playstation | Super Nintendo | 26/04/2011 10:46:10 4 / 0
Ficha técnica
Gênero:
RPG
Lançamento:
02/11/1999
Desenvolvedor:
Square Enix
Distribuidor:
Square Enix
Plataforma(s):
SNESDSPS1
Clássico RPG da Square que marcou época no SNES.
9.0
9.7
Estamos no Facebook